imageOs parques de diversão deveriam ser locais de diversão total, porém muitas vezes ocorrem acidentes que poderiam ter sido evitados.

A manutenção das atrações destes parques deveria ser uma prioridade, mas infelizmente não é o que vemos no Brasil.

Certamente, o maior problema seja a falta de cuidado com as ligações elétricas destes brinquedos. Todos eles são ligados em alguma fonte de eletricidade para movimentar e iluminar. Sendo todos fabricados com material metálico, a condução da eletricidade se dá de forma muito fácil.

Uma emenda mal feita, materiais deteriorados, as condições climáticas (chuva) são problemas que podem acontecer e a consequência é a energização daquele brinquedo que se torna ‘vivo’. Uma criança, ao tocá-lo, pode receber uma descarga elétrica que, muitas vezes pode ser fatal.

Recebemos vários relatos de acidentes em parques, como estes dois relatos abaixo que, felizmente, não levaram as crianças ao óbito.

Crianças são mais sensíveis às descargas elétricas e, justamente por isso, este tipo de estabelecimento que recebe este público em específico precisa ser fiscalizado com rigor.

Em 2014, segundo levantamento da Abracopel, 69 crianças entre 0 e 15 anos morreram devido a choque elétrico em diferentes locais e atividades. Todos estes ‘acidentes’ poderiam ter sido evitados com simples informações.

É preciso que todos estejam atentos aos riscos que a eletricidade oferece. Muitas vezes, não existe segunda chance para um acidente com eletricidade. Pense nisso!

Criança sofre choque elétrico em parque de diversões no Litoral Norte

De acordo com ocorrência policial, uma menina de dez anos sofreu choque elétrico em um parque de diversões no Centro de Balneário Pinhal, no Litoral Norte do Rio Grande do Sul. O fato foi na noite passada, mas divulgado neste sábado pela Brigada Militar. Ao sair do brinquedo “Kamikaze”, a menina enconstou as duas mãos em uma plataforma de metal e sofreu uma descarga elétrica, ficando por alguns segundos com as mãos grudadas no equipamento.
Ela foi socorrida por um funcionário de parque e foi levada por ele, junto com os pais, para o Posto de Saúde 24 horas do município. Ao registrar a ocorrência, a família da menina, que passou por avaliação médica e passa bem, informou que outras pessoas reclamaram de choques elétricos.

Outro caso
No dia 26 de dezembro, um outro caso semelhante aconteceu na praia de Magistério, no litoral norte. Uma menina de nove anos levou um choque quando se divertia em um dos brinquedos. O Serviço de Atendimento do Samu fez o atendimento. O choque não foi forte, mas, ao chegar ao parque, no centro de Magistério, o Corpo de Bombeiros constatou que o estabelecimento não tinha alvará.