Os Dispositivos de Proteção contra Surtos (DPS) têm a característica de conectar um condutor, normalmente energizado, às fases e, eventualmente, o neutro ao sistema de aterramento. A sua atuação difere dos fusíveis e disjuntores porque estes, ao atuarem, interrompem tanto a corrente de defeito quanto a de regime, desenergizando a instalação.

Imagem1

Os DPS atuam mudando a configuração do circuito para uma configuração potencialmente perigosa que necessariamente deve ser alterada com a volta do protetor contra surtos ao seu estado inicial. Devido à característica não linear do DPS, muita atenção deve ser dada ao projeto de uma instalação elétrica com relação à proteção dos DPS, conforme discutido no artigo anterior ‘Protegendo o Protetor’.

Relembrando: o valor máximo da corrente nominal do dispositivo de sobrecorrentes necessário para a proteção do DPS é determinado pelo fabricante deste DPS, mas a sua capacidade de interrupção da corrente de curto-circuito e a sua característica de atuação vão depender do ponto onde este disjuntor ou fusível será instalado e deve ser especificado pelo projetista da instalação.

Para a nossa maior segurança, as normas técnicas trazem muita informação sobre este assunto. Os profissionais devem consultar os documentos abaixo para especificar corretamente as medidas necessárias para garantir a confiabilidade do DPS em condições normais de operação, final de vida útil e defeito.

A proteção dos Dispositivos de Proteção contra Surtos (DPS) é uma exigência da NBR5410-2004¹. A norma no seu item 6.3.5 trata dos dispositivos de proteção contra surtos e especificamente no subitem 6.3.5.2.5 descreve a possibilidade de falha do DPS e como protegê-lo contra sobrecorrentes. A norma NBR IEC 61643-1-2007² também determina a necessidade do DPS ter um mecanismo de desconexão. Como esta é uma norma de produto, ela admite a possibilidade de este desconector ser interno ou externo ao DPS, e determina os testes necessários para verificar as condições desta desconexão. A norma NBR 5419-2015³ na sua parte 4, ‘Sistemas elétricos e eletrônicos internos na estrutura’, quando trata dos DPS, menciona a existência dos dispositivos de proteção contra sobrecorrentes, mas encaminha os profissionais para a já citada NBR5410-2004 e para a IEC 61643-124.

Concluindo, a utilização de um dispositivo de proteção contra sobrecorrentes, disjuntor ou fusível, antes dos DPS é uma necessidade técnica indiscutível, determinada por norma, que deve ser reconhecida pelos fabricantes do DPS e respeitada pelos projetistas elétricas.

Imagem2

1 – ABNT NBR 5410-2004, Versão corrigida: 2008. Instalações elétricas de baixa tensão. www.abntcatalogo.com.br;
2 – ABNT NBR IEC 61643-1-2007. Dispositivos de proteção contra surtos em baixa tensão. Parte 1: Dispositivos de proteção conectados a sistemas de distribuição de energia de baixa tensão – Requisitos de desempenho e métodos de ensaio.  www.abntcatalogo.com.br;
3 – ABNT NBR 5419-2015: partes 1,2,3 e 4. Proteção contra descargas atmosféricas. www.abntcatalogo.com.br;
4 – IEC 61643-12. Low-voltage surge protective devices- Part 12: Surge protective devices connected to low-voltage power distribution systems – Selection and application principles. www.abntcatalogo.com.br

 

boxcolunistas-sergio