Pela primeira vez na história da ciência, cientistas conseguiram juntar, de uma forma eficiente, energia biológica e energia solar.

A proeza foi conseguida por uma equipa de investigadores da Universidade de Binghamton, nos Estados Unidos, através de uma fórmula que gera energia limpa a partir de bactérias.

O processo aproveita a fotossíntese e as atividades respiratórias das bactérias num painel biossolar, a partir da conexão de nove células solares com cianobactérias.

O feito científico foi capaz de gerar 5,59 microwatts de eletricidade, uma quantia mínima comparada com a capacidade de um painel solar tradicional, mas que abre portas para o uso deste tipo de tecnologia.

A investigação é o último passo de uma série de estudos sobre a utilização de cianobactérias, que podem ser encontradas em quase todos os meios terrestres e aquáticos do planeta, como uma fonte de energia limpa e sustentável.

“Assim que um painel biossolar funcional ficar disponível, pode tornar-se numa fonte de energia permanente para o fornecimento de energia a longo prazo para sistemas de telemetria pequenas, sem fios, bem como sensores sem fios utilizados em locais remotos onde a substituição frequente da bateria é impraticável”, explicou Seokheun “Sean” Choi, co-autor do estudo e professor da universidade norte-americana.

Segundo o professor, é importante realizar este tipo de experiências para que um dia se possa maximizar a capacidade de gerar energia sustentável.

FONTE: https://zap.aeiou.pt