O que é segurança em eletricidade nas indústrias?

Durante as minhas atividades profissionais, me envolvi muito em prol da segurança daqueles que se expõem aos riscos da eletricidade. Como engenheiro eletricista, trabalhando na área de projeto, montagem, operação e manutenção, a preocupação sobre segurança em eletricidade acontecia em todas as fases de operação da indústria, desde a concepção até a sua desativação total.

Participei de vários eventos organizados por entidades de classe que representam tanto os profissionais eletricistas como os eletricitários, todos voltados para os profissionais de segurança no trabalho, mas infelizmente pouco voltado para os profissionais eletricistas propriamente ditos, ainda mais daqueles que atuam em indústrias.

Os eletricistas que atuam nas indústrias, seja na operação do sistema elétrico, como na manutenção, ou prestação de serviços são, na maioria, representados pelas entidades como sindicatos do ramo da empresa, ou seja, mesmo sendo eletricistas são ligados ao setor químico, metalúrgico, siderúrgico, farmacêutico, têxtil etc., onde a eletricidade não é o principal foco, muito menos a segurança em eletricidade.

No caso do sindicato dos eletricitários, o foco principal são os eletricitários, incluindo os profissionais eletricistas. O profissional de segurança do trabalho, a maioria deles, tem formação em eletricidade e com conhecimento dos fundamentos da eletricidade, acrescentando entre as atividades, outros aspectos de segurança no trabalho, como transporte, trabalho em alturas etc.

Isto não ocorre no setor industrial. A segurança dos profissionais eletricistas em relação aos riscos da energia elétrica é administrada como outros riscos de trabalho, e os programas de segurança dos profissionais eletricistas ficam sob administração das pessoas com pouca vivência ou contato com a eletricidade. Ou, pior, ela é renegada aos eletricistas. Na indústria química, a maior ênfase é a segurança de processo, com envolvimento de pessoas gabaritadas nos processos químicos e nos riscos.

Como os eletricistas que trabalham nas industrias tem a sua segurança assegurada? Qual é a base dos programas? Onde eles podem procurar referências? É fato que cada trabalhador tem que cuidar da sua própria segurança seguindo os programas, procedimentos e sistema gerencial da empresa. Mas quem elabora estes procedimentos para os profissionais eletricistas? Apesar de ser necessário cuidar da sua própria segurança no trabalho, os profissionais de manutenção e operação tem a sua atividade principal que é o planejamento, a realização de trabalhos técnicos e é cobrado por isso. O programa e o planejamento de segurança no trabalho, revisão dos procedimentos, programação das auditorias etc., não fazem parte da descrição das atividades do cotidiano.

O planejamento, elaboração do programa, procedimentos de segurança em eletricidade deveria fazer parte das atividades destes profissionais, reservando tempo, recursos específicos para esta finalidade, o que não é muito comum. Existem algumas empresas onde a segurança daqueles que se expõem aos riscos da eletricidade são administradas pelo pessoal técnico da área de eletricidade, e os técnicos ou engenheiros de segurança do trabalho que tem como foco principal a segurança do trabalho, deveriam atuar no gerenciamento do cumprimento destes programas, servindo como “anjos da guarda” destes. Isto seria o ideal.

Como mencionado, atuando em indústrias, já participei de várias discussões entre os profissionais de segurança do trabalho, que não tem formação em eletricidade, e pessoal da elétrica sobre a forma mais segura de executar os trabalhos.

Esta coluna, não tem intenção de crucificar os profissionais de segurança do trabalho sem formação em eletricidade, nem mesmo os profissionais de eletricidade que não tem formação em segurança do trabalho, mas sim para buscar uma forma mais harmônica entre eles. Quem conhece os riscos da eletricidade são aqueles que conhecem a eletricidade e os seus riscos, assim como a forma de prevenir. Os profissionais de segurança do trabalho têm toda a prerrogativa na empresa para cuidar da segurança, mas com suporte técnico daqueles que se expõem aos riscos.

A eletricidade e os processos químicos possuem uma particularidade em que não se consegue enxergar os riscos, se você não conhece os seus fundamentos e conceitos, diferente de outros riscos que são mais visíveis.

boxcolunistas-tomiyoshi