Proteção passiva contra incêndio são soluções incorporadas ao sistema construtivo de uma edificação, formadas por um conjunto de materiais resistentes ao fogo.

Seu objetivo é compartimentar o foco de incêndio no local de origem evitando a propagação das chamas, calor e fumaça, mantendo assim a integridade da edificação. A PPI retarda a proliferação do incêndio para facilitar os trabalhos de combate ao fogo, e principalmente dando tempo hábil para as pessoas deixarem o local em segurança.

Os produtos para proteção passiva contra incêndio resistem ao fogo por um determinado período de tempo, e vedam as aberturas onde passam as instalações elétricas e hidráulicas.

É necessário realizar uma analise de cada situação, como tipo da parede, tamanho da abertura, tipo de instalação que está passando por ela, informações necessárias para fazer a escolha correta do produto a ser utilizado, garantindo a segurança que eles oferecem.

Um grande numero de incêndios são causado por falhas nas instalações elétricas. A PPI não tem como objetivo impedir que o incêndio ocorra, mas impede a sua propagação através dos elementos da instalação.

Os critérios de proteção aumentam conforme o tipo de edificação, a quantidade de pessoas em seu interior e como elas se relacionam com a edificação. Um hospital é frequentado por pessoas com muito mais dificuldade de locomoção do que as que frequentam um Shopping, por exemplo, ou os funcionários em um fábrica podem alcançar saídas de emergência com mais rapidez do que os espectadores em um cinema.

Quanto mais investimentos em proteção menor será o prejuízo no caso de incêndio e mais rapidamente a edificação poderá retornar as suas atividades.

Pelas suas características, a PPI acaba não sendo responsabilidade de ninguém, porque ela envolve as instalações elétricas, mas faz parte da estrutura da edificação, sendo atribuição tanto do arquiteto, quanto do engenheiro eletricista. Atualmente o maior interesse pelo assunto vem pelas empresas seguradas que estão considerando a existência, ou não, das medidas de PPI nos valor cobrado pelo seguro.

Sergio Roberto Santos e Tatiane Musardo trabalham na OBO Bettermann do Brasil Ltda.

boxcolunistas-sergio

boxcolunistas-sergio