Maior Termelétrica movida a biogás é inaugurada em São Paulo

A produção de biogás vem crescendo constantemente no Brasil.

Para contribuir ainda mais com esse aumento a inauguração da maior termelétrica movida a biogás aconteceu na última semana, no município de Caieiras em São Paulo.

Chamada de Termoverde Caieiras, a termelétrica recebeu 21 motogeradores da empresa GE Power, a qual fabrica peças para a geração de energia limpa e sustentável a partir de resíduos urbanos. O novo empreendimento será movido pelo biogás produzido pelo Centro Tratamento de Resíduos Caieiras e terá capacidade instalada de gerar 29.547 quilowatts.

De acordo com o líder de vendas da divisão de Distributed Power da GE Power para o Brasil, Rickard Schafer, a produção de energia a partir de fontes sustentáveis contruibuem com a diminuição na emissão de gases poluentes na atmosfera.

“O Brasil possui grande potencial de energia gerada através do biogás proveniente dos resíduos de aterros sanitários e sua utilização pode contribuir significativamente com dois pontos: a destinação sustentável do volume crescente de biogás, o que reduz a emissão de gases de efeito estufa, e a diversificação da matriz energética brasileira, atendendo à demanda por energia limpa” ressaltou ele.

Segundo a Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Públicas e Resíduos Especiais (Abrelpe), o Brasil tem potencial de gerar 1,3 GW de energia elétrica a partir dos resíduos sólidos urbanos. Esse total é equivalente a um fornecimento adicional de 932 mil MWh/mês, o suficiente para abastecer 6 milhões de residências ou mais de 20 milhões de habitantes.

A nova termelétrica produzirá energia a partir de 8 mil toneladas de resíduos urbanos e industrias que chegam diariamente ao Centro de Tratamento. A expectativa é que a usina passe a produzir cada vez mais, retirando assim ainda mais resíduos das ruas. “A expectativa é que a capacidade de geração da usina aumente gradativamente, uma vez que a cada ano a quantidade de biogás produzido aumenta em razão de novos resíduos dispostos no aterro”, explicou Carlos Bezerra, diretor da Termoverde Caieiras.

Fonte: Biomassa BR