.

.

.

Iniciamos a nossa coluna, neste portal, tratando do histórico da normalização de Média Tensão (MT) no Brasil.

A primeira norma de MT foi publicada pela ABNT em 1977 sob o número de NB 79, que posteriormente foi numerada para NBR 5414. Esta norma foi cancelada pela ABNT automaticamente em 1997, por não haver nenhuma alteração, ou mesmo revalidação, por um período de 20 anos. A regra da época era que neste período a norma era considerada obsoleta automaticamente e cancelada. O cancelamento desta norma foi traumático para o setor elétrico, em particular para as concessionárias, sendo este trauma um dos motivos que levou a ABNT a mudar o seu critério de cancelamento; agora o cancelamento de uma norma é colocado em consulta pública. Esta norma tratava apenas da execução das instalações elétricas de MT e estava limitada a uma tensão nominal de 15 kV.

A comissão de estudos do Comitê Brasileiro de Eletricidade – CB-03, da ABNT, a CE-64.11 foi então reativada sob a coordenação do Eng. Hilton Moreno, ficando responsável pela elaboração de uma nova norma de instalações elétricas de MT. A comissão resolveu elaborar uma norma baseada no texto da norma cancelada, para que pudesse resolver mais rapidamente o problema criado pelo vácuo legal do cancelamento da NB-79. No ano de 1998 foi publicada a NBR 14039 (uma vez que a norma tinha sido cancelada, o número NB-79 foi perdido). Esta norma foi emendada no ano de 2000, ainda com a mesma base da NB-79 (o objetivo desta emenda foi a correção de alguns erros ortográficos).

Em dezembro de 2003 foi publicada a nova Norma Brasileira de Instalações Elétricas de Média Tensão, agora baseada na norma francesa NFC 13200 e no projeto de norma da IEC 61936-1. A decisão de se elaborar uma norma brasileira baseada em uma norma estrangeira se deu pelo fato de que, na época, não existia ainda uma norma IEC. A IEC 61936-1 foi publicada em 2002, quase que simultaneamente com a norma brasileira. Por uma feliz coincidência a IEC também foi elaborada usando a NFC 13200 como texto base, fato que fez com que a norma brasileira mesmo sendo publicada somente um ano após a IEC, tivesse uma grande concordância com esta. A norma de 2003 foi emendada em 2005.

A Comissão CE-64.11, depois da publicação da NBR 14039 iniciou a elaboração de outra norma, a segunda de MT, que deve entrar em consulta pública ainda no primeiro semestre de 2016. Esta nova norma trata das subestações de entrada de energia – SEE, ou seja, a subestação que contém instalações entre o ponto de derivação da rede e a origem da instalação. Portanto, esta norma é a tentativa, ou o início, da padronização das entradas de energia elétrica em média tensão no Brasil. Nesta região da instalação encontra-se a medição, faturamento e a proteção geral, componentes da instalação de grande interesse das concessionárias de energia elétrica. O grande objetivo da comissão não é o de engessar os padrões das concessionárias em um único padrão, mas de padronizar tudo o que for possível. Condição em que todos são beneficiados: as concessionárias, os projetistas, os instaladores e os fabricantes.

Esta norma está totalmente alinhada com a atual NBR 14039, pois essa é a sua base técnica. A atual NBR 14039 é a norma dos requisitos gerais e a nova norma é a norma dos requisitos particulares para subestações de entrada de energia. A norma atual deve ser renumerada pela ABNT para NBR 14039-1 e a nova norma receberá o número de NBR 14039-2.

Nesta norma, além dos requisitos que deverá atender as subestações de entrada de energia, serão apresentados os diagramas unifilares das diversas topologias das subestações de entrada de energia. Os diagramas apresentam configurações básicas como as instalações com medição em média tensão e baixa tensão, e subestações em poste, alvenaria e cubículos metálicos. Também serão apresentados diagramas para configurações mais complexas, como instalações com cogeração. Outro aspecto importante é que esta nova norma aborda temas atuais como a ligação à rede de consumidores livres e autoprodutores.

Nos próximos artigos serão tratados assuntos internos das normas de MT, podendo inclusive conter sugestões dos leitores do portal. Até lá!

boxcolunistas-joaocunha