Por Patrícia Lins

Este artigo trata do assunto instalações elétricas provisórias, notadamente de canteiro de obras.

Os requisitos de projeto, construção e montagem de instalações elétricas provisórias também devem seguir as recomendações técnicas das melhores práticas de engenharia e normas técnicas aplicáveis, pois sua única diferença para instalações elétricas permanentes é justamente o tempo de vida da instalação. O fato de ser provisório, como muitos especialistas acreditamos, não quer dizer precário ou desprovido de segurança.

Neste ínterim, e em especial se tratando dos canteiros de obras, valem os preceitos previstos da ABNT NBR 5410 – Instalações Elétricas de Baixa Tensão e também na NR-18, especialmente o item 18.21 que trata de Instalações Elétricas. A Fundacentro tem também uma Recomendação Técnica, RTP-05, que aborda o tema. As concessionárias locais disponibilizam também normas específicas para instalações elétricas provisórias.

Existem dois problemas principais ou preocupações envolvendo instalações elétricas provisórias; a primeira delas é a responsabilidade técnica profissional (um especialista responsável por este tipo de instalações, em teoria, afasta a possibilidade de problemas advindos da imperícia no projeto, instalação e montagem, contribuindo significativamente para evitar acidentes), e a segunda é a fiscalização em todas as fases (projeto, instalação e montagem) – sabe-se que não se dispõe de corpo suficiente de fiscais para todas as frentes de serviço desta natureza, mas certamente a fiscalização colabora para a segurança.

Existem alguns aspectos importantes neste tema: o primeiro, já abordado, é que instalações mesmo provisórias devem ter projeto, instalação e montagem realizados e acompanhados por profissionais capacitados na área; além disso, é importante destacar que as ligações clandestinas (crime) não devem sequer serem cogitadas. A necessidade de aterramento e equipotencialização já é essencial nos projetos de instalações elétricas em geral, e se tratando de instalações provisórias, a importância é ainda maior, uma vez que geralmente os cuidados com a segurança são menosprezados e é muito frequente utilizar por exemplo estruturas metálicas, fazendo elevar o risco de choque elétrico por contato indireto.

Além disso, há de se acautelar com a capacidade instalada e a utilização de materiais adequados (a qualidade dos materiais empregados não deve jamais ser negligenciada, a título do status provisório das instalações) – desde emendas mal feitas, ligação elétrica de cabos diretamente sem plugues, caixas de quadros elétricos em madeira (material combustível), dentre outros exemplos.

Cuide da sua segurança. A vida é seu maior bem.