O uso da luz do sol como fonte primária para produção de energia não pára de aumentar a nível mundial. A Agência Internacional de Energia anunciou  quarta-feira, dia 4 de Outubro, que pela primeira vez a energia solar foi a que mais rapidamente cresceu o ano passado.

 A energia solar cresceu 50% e ultrapassou o crescimento líquido do carvão, até aqui o maior criador de energia. A mudança foi impulsionada pela queda dos preços e pelas políticas governamentais, particularmente na China.

A AIE – instituição criada após a primeira grande crise do petróleo em 1973 – defende, no mesmo relatório, que a energia solar dominará nos próximos anos, alguns especialistas falam já primeiro dia de uma “nova era”.

“O que testemunhamos é o nascimento de uma nova era, a era da energia solar”, disse Fatih Birol, diretor-executivo da AIE, no comunicado que acompanha o relatório divulgado esta quarta-feira. “Esperamos que o crescimento da capacidade da energia solar seja maior que qualquer outra renovável até 2022.”

O crescimento da energia solar na China deve-se, em grande parte, ao apoio do governo por causa da poluição do ar e degradação ambiental. O país procura reduzir a sua dependência do carvão e tornou-se no maior mercado mundial de energias renováveis, em particular a energia solar.

A instalação de painéis solares na China disparou 125% só no ano passado em relação a 2012, o país investiu mais do que a Europa, Estados Unidos e Japão juntos em energia solar em 2016. Sendo que os Estados Unidos também quase duplicaram a produção, com a Califórnia a corresponder a um terço da produção. Na Europa, os investimentos caíram ligeiramente.

 

Portugal vai ter a maior central solar da Europa sem tarifas garantidas

A energia solar fotovoltaica é o tipo de energia que menos pesa na produção de electricidade em Portugal, foi responsável por 1,4% da produção em Portugal em 2016. A Associação Portuguesa de Energias Renováveis (APREN) prevê que a capacidade instalada de energia solar fotovoltaica cresça 20 vezes até 2030 em Portugal.

A primeira grande central solar da Europa que vai produzir energia sem tarifas garantidas ou outros subsídios estatais já está a ser construída no concelho de Ourique, distrito de Beja, num investimento de cerca de 35 milhões de euros.

A Central Solar Fotovoltaica Ourika! que começou a ser construída em Julho, numa área de 100 hectares situada perto da aldeia de Grandaços deverá ficar concluída em Julho de 2018 começar a produzir um mês depois, em Agosto, refere a empresa.
A energia produzida pela Ourika!, a primeira central solar a ser licenciada em Portugal para operar em regime de mercado, será vendida no mercado ibérico ou exportada para qualquer outro mercado da União Europeia.