China inicia construção da central de energia solar no Deserto de Gobi

A empresa chinesa Grupo de Energia Solar-Termal de Qinghai iniciou a construção de uma central de energia solar com uma capacidade de gerar 200 megawatts no Deserto de Gobi, informou a agência oficial “Xinhua”.

A empresa chinesa Grupo de Energia Solar-Termal de Qinghai iniciou nesta quarta-feira a construção de uma central de energia solar com uma capacidade de gerar 200 megawatts no Deserto de Gobi, informou a agência oficial “Xinhua”.
A usina, que ficará na cidade chinesa de Golmud (noroeste), terá uma extensão de 2.550 hectares e proporcionará eletricidade a aproximadamente um milhão de lares, segundo os cálculos da companhia.
Esta instalação utilizará a tecnologia de uma torre, formada por um conjunto de espelhos que refletirão a luz solar e concentrarão a radiação em uma torre central que gerará eletricidade.
Sua capacidade de armazenamento será de 15 horas, o que garante uma capacidade de geração elétrica estável, disse o presidente da empresa responsável em declarações recolhidas por “Xinhua”.
Trata-se da maior central solar deste tipo construída até agora na segunda economia mundial, que no final de 2014 contava com uma capacidade de geração de energia solar instalada de 28,05 gigawatts, segundo dados oficiais