Você já parou para pensar por que é tão difícil investir em eletricidade?

Todo mundo que trabalha de maneira séria com eletricidade, seja autônomo ou profissional de empresas, já conhece ou passou por isso. Você faz um levantamento de melhorias da parte elétrica, de acordo com as normas vigentes e materiais de boa qualidade, profissionais certificados e qualificados. Finalizando, você indica para o seu cliente ou superior, as necessidades de melhorias de um local ou estabelecimento e, aí começa…

Segundo a minha experiência aqui vão os campeões de reclamações:

Em primeiro lugar: “Nossa mas é muito caro! Não podemos alterar algumas coisas?” (leia-se trabalhar com materiais inferiores, ou fora de norma e profissionais não tão capacitados assim!).

Em segundo: “Está funcionando assim faz um tempão, porque vou gastar?”

E por último, mas não menos frequente: “É obrigatório eu alterar? O que acontece se eu não fizer?”

Isso acontece por alguns motivos. Primeiro porque eletricidade não pode ser vista, nem tocada, apenas sentimos seus efeitos.  E como dizia a minha avó: “Quem não é visto, não é lembrado”. Então, normalmente, pensamos na eletricidade quando aquela tomada não funciona mais, ou aquela máquina para de funcionar. É diferente de você comprar aquela máquina caríssima, mas que você a vê todo dia, e funcionando.

Um outro motivo é que os perigos da eletricidade ainda não são tão conhecidos pela população. As pessoas quando veem acidentes com eletricidade ainda acham que isso é uma fatalidade. O que de fato não é. O que acontece é falta de consciência e prevenção dos riscos. Um trabalho muito bacana que vem acontecendo é feito pela ABRACOPEL, que é uma associação que realiza um trabalho muito sério divulgando os riscos e perigos da eletricidade para a população em geral. Além disso, eles realizam diversas ações como prêmio de jornalismo que incentiva as grandes mídias a divulgar os perigos da eletricidade e assim conscientizar a “grande massa” e também um concurso de redação e desenho, incentivando a garotada a pensar na eletricidade segura.

Caso você não conheça, vale à pena acompanhar as atividades dessa associação.

Faz parte da rotina de nós profissionais da área, lidarmos com essa situação. Mas também temos a responsabilidade de mudar esses tipos de questionamentos. Eletricidade é coisa séria. Eletricidade mata. E não estamos usando essas frases por puro clichê ou exagero.

Quanto vale a vida humana? Não é fatalidade um pai de família perder a vida por não ter um dispositivo de proteção adequado que atuasse na hora correta. Quando olhamos a indústria, a responsabilidade aumenta. E se um funcionário sofrer um acidente. Será que investir em adequações, materiais de boa qualidade e profissionais sérios e preparados não poderia livrar de uma ‘baita’ dor de cabeça e até futuras grandes indenizações.

Investir em prevenção é o melhor negócio sempre!

E como anda a instalação da sua residência? Quanto vale a vida dos seus filhos? Com a nossa família a nossa responsabilidade de prevenir os riscos aumenta.

Vamos refletir, porque às vezes o barato pode sair caro.

Procurem sempre bons profissionais e materiais de boa qualidade adequados para sua situação. Além disso, contem sempre com o auxílio de empresas qualificadas para lhes oferecer suporte e as melhores soluções do mercado.

E você já passou por esse tipo de situação? Conte-nos a sua experiência.

Grande Abraço,

Erica C. M. Ortiz

boxcolunistas-erica