Fazenda do Paraná aproveita esterco para produzir energia elétrica
Alternativa faz com que propriedade produtora de leite economize R$ 20 mil. Do esterco se tira o biogás, que é transformado em energia elétrica.

A fazenda Iguaçu, em Céu Azul, na região oeste do Paraná, consegue economizar R$ 20 mil por mês com a utilização do esterco dos animais para a produção de biogás, que posteriormente é transforma em energia elétrica. De toda a energia consumida, 80% são de origem própria graças ao sistema de biogás.

A propriedade é uma das maiores produtoras de leite da região, com 500 vacas leiteiras e 19 mil litros por mês. Para manter a produção, são necessários mais de 300 motores, que consomem uma grande quantidade de energia.

“O sistema é fantástico. Você pega um problema, que é o dejeto, gerando quase 200 toneladas por dia entre esterco, água e serragem, e transforma em energia. Um problema ambiental, se tornando uma solução, é o que de maior o produtor pode ficar satisfeito”, diz Mário Sossela Filho, dono da fazenda.

A tecnologia
O biogás, usado na geração de eletricidade, é uma fonte renovável produzida pela decomposição da matéria orgânica por meio da ação de bactérias. Nesse processo, o esterco é separado da serragem por uma máquina e depois vai para um biodigestor.

Para evitar contaminação, o solo é protegido por uma manta. Depois, os dejetos passam por um processo chamado biodigestão. A queima do gás metano, produzido durante esse processo, é o que faz o gerador funcionar. A fazenda Iguaçu tem dois biodigestores e um gerador.

Dos 399 municípios do Paraná, 130 têm potencial para gerar energia com o biogás, segundo dados da Itaipu Binancional. Já há projetos para que cidades inteiras sejam abastecidas com essa fonte de energia.

Uma delas é Entre Rios do Oeste, que também fica na região oeste do estado. “Nós estamos trabalhando com a Copel para fazer toda a captação do biogás da produção animal do município e essa produção é capaz de sustentar  e sobrar ainda 10% da energia gerada, da demanda energética q o município tem” , explica Cícero Bley Júnior, assessor de energias renováveis da Itaipu Binacional.

Vantagens do biogás
O gás metano é um dos responsáveis pelo efeito estufa. Só a queima dele no gerador, durante o processo de produção de energia, já traz benefícios para o meio ambiente. Outra grande vantagem é que o biogás é uma energia renovável e mais barata que as convencionais, como a hidrelétrica e o gás natural.

O custo de geração também é vantajoso. Segundo Cícero Bley Júnior, a geração de biogás custa metade do que a geração hídrica. Segundo ele, “as outras fontes, solar, eólica, são fontes importantes, mas são bem mais caras do que pra obter biogás”.

Do biogás produzido na fazenda Iguaçu também sai um líquido que é levado através de canos até represas e passa por um processo de decantação. São oito represas e, na última, a água fica bem mais limpa, mas não é própria para o consumo.

Ela só é usada para irrigar o pasto e na limpeza dos estábulos. Com isso, 80 mil litros de água são economizados por mês. “Se cada um tiver consciência, eu acredito que nós vamos fazer o melhor possível, cada um fazendo a sua parte”, diz Mário Sossela Filho.

Fonte: G1