Por Erica Ortiz

Olá amigos, como vão? Nosso assunto de hoje será sobre aterramento temporário. Mas, primeiramente, você sabe o que é aterramento temporário?

Podemos definir como aterramento temporário: a conexão realizada com a finalidade de equipotencializar condutores ou equipamentos ao potencial terra através de dispositivos que podem ser facilmente desconectados.

E onde este deve ser utilizado?

Para responder essa pergunta, temos que consultar a norma regulamentadora número 10, mais conhecida como NR-10.

Segundo a NR-10, no item 10.2.8.2, devemos prioritariamente executar a desenergização elétrica nos serviços envolvendo as instalações elétricas.

Ok, e onde entra o tal do aterramento temporário, nisso?!

Quando falamos de desenergização elétrica, temos como senso comum somente desligar o disjuntor ou fusível. Conceito errôneo!

A NR-10, no item 10.5.1, estipula que somente deve ser considerada como desenergizada a instalação elétrica que obedecer sequencialmente o procedimento:

  1. a) seccionamento;
  2. b) impedimento de reenergização;
  3. c) constatação da ausência de tensão;
  4. d) instalação de aterramento temporário com equipotencialização dos condutores dos circuitos;
  5. e) proteção dos elementos energizados existentes na zona controlada;
  6. f) instalação da sinalização de impedimento de reenergização.

Bom, e é aí que entra o uso do aterramento temporário. Não pode ser considerada DESENERGIZADA a instalação elétrica em que não há o aterramento temporário.

Notem que a NR 10, não estipula valor de tensão mínima e máxima para o uso de aterramento temporário.

Tenho escutado muito esse equívoco: “Ah, aterramento temporário é só para alta tensão!”. Aterramento temporário independe dos valores de tensão. Deve ser utilizado em todas as intervenções com eletricidade mesmo que seja em quadros elétricos de 127/220 Volts.

Mas você sabe por que ele é obrigatório e tão importante em todas as atividades de instalações elétricas?

O aterramento temporário é um dispositivo de segurança. Ele que vai garantir a segurança para que o trabalhador não receba um choque elétrico, potencialmente fatal, caso ocorra uma energização de um circuito que supostamente encontrava-se desenergizado.

Como assim? Imaginem a seguinte situação. Seu circuito está desenergizado de acordo com o procedimento da NR-10 e, por uma eventualidade, um desses condutores acidentalmente encosta em um barramento que está energizado. É o aterramento temporário que vai escoar essa energia toda, evitando que o profissional receba a descarga elétrica que pode ser fatal.

Outra situação, em casos de campo eletromagnético, onde um condutor que supostamente está desenergizado pode, através da indução, ficar energizado. Novamente, é o aterramento temporário que vai evitar um acidente quando o trabalhador tocar o circuito.

Poderia continuar citando uma série de outras situações, como descargas atmosféricas, cargas estáticas e outros tantos mais em que o aterramento temporário pode vir a evitar um acidente.  Mas o fato é que, além de ser obrigatório pela norma, é um equipamento que pode salvar vidas e extremamente necessário para a segurança em relação aos riscos elétricos.

Não caiam no erro comum de achar que circuitos de baixa tensão não oferecem riscos e, por isso, não há a necessidade de se instalar aterramento temporário.

Sabemos que correntes de apenas 30mA podem ocasionar danos irreversíveis aos seres humanos. Isso ocorre, pois a gravidade do choque elétrico depende de uma série de fatores, como percurso da corrente, resistência do corpo humano e outros. Fatores que muitas vezes não conseguimos controlar.

Para finalizar, caso o seu equipamento ou quadro elétrico não possua condições de instalar aterramento temporário, lembre-se que do item 10.3.6 da NR-10 estipula que todo projeto deve prever condições para a adoção de aterramento temporário. Então, se esse é o seu caso, já é hora de rever o projeto segundo as exigências da norma.

Minha motivação para escrever esse texto foi que aproximadamente 80% dos locais onde realizo auditoria referente a NR-10, não utilizam aterramento temporário para baixa tensão.

Além disso, em consulta a algumas empresas que vendem esse dispositivo, me foi relatado que a procura por esse tipo de equipamento é baixa e em alguns casos inexistente.

Por esse ser um dispositivo tão simples, mas tão importante para a segurança, creio que essa é uma realidade que deveria mudar, vocês não acham?

E na sua empresa, vocês adotam o aterramento temporário para todos os níveis de tensões? Conte para a gente nos comentários.

Um grande abraço e até a próxima, Erica.