Pensando no preço e não na necessidade completa.
Desculpem por iniciar o tema desta forma, mas é desta maneira que vejo os investimentos em infraestrutura atualmente, principalmente no que diz respeito a automação.
Primeiro, que não se contrata um profissional para avaliar os melhores sistemas, as melhores tecnologias, se está ou não de acordo com norma etc. O que se tem praticado no mercado é entrar em contato com um ou dois fornecedores e solicitar que estes façam o projeto. Naturalmente, cada um deles vai “puxar a sardinha pra sua brasa” e então temos um projeto relativamente poluído.
No segundo passo, e de posse dos dois projetos, um funcionário faz uma comparação e o ajuste que ele entende ser possível e apresenta a proposta. Esta proposta é avaliada por outro funcionário, com um só objetivo, reduzir o custo.
É ai que começa a economia burra. Corta aqui, corta ali e pronto, está aí o projeto de infraestrutura de automação.
O bom e velho, Similar, entra no processo de compra e a correria do dia a dia do funcionário que especificou, não conseguiu inserir o máximo de informações no projeto e a lista de material saiu com especificações básicas. O comprador, que deve obter pelo menos 3 preços, envia para os seus fornecedores e pede para que elabore o orçamento. Os fornecedores recebem o orçamento com algumas especificações e tentam atender da melhor forma (que lhes convém é claro) e apresentam a proposta.
Vence o menor preço, que ainda é negociado para baixar mais.
Pois bem, e porque este tema está em um site sobre energia elétrica? É porque tenho visto isto acontecer constantemente. Um investimento em infraestrutura de automação que custa algumas centenas de milhares de reais e não existe preocupação com a energia elétrica que alimentará esta infraestrutura, e são computados itens imprescindíveis como UPS para manter o sistema funcionando em uma interrupção de energia, ou estabilizador para manter o sistema funcionando em uma variação de tensão. Proteção contra surtos também são esquecidos e o tratamento das harmônicas, depois vemos.
Tudo isto reflete em uma economia burra.
Recentemente pude presenciar esta situação na pele. Fui a uma loja de materiais de construção para comprar algumas coisas para minha casa. Estava disposto a gastar algo em torno de R$500,00. Pois bem, a loja estava na semana da promoção e no dia que estive, era o tal do Saldão e eles estimavam faturar muito.
Loja cheia e de repente ‘Pum’: energia elétrica da concessionária desligada. Continuei comprando, pois era dia e a loja estava clara. Ao finalizar minha compra (cerca de 20 minutos depois) veio a surpresa: a loja não podia finalizar minha compra, pois o sistema não funcionava sem energia.
Naturalmente, deixei minha compra e fui para outra loja, verifiquei ao sair que muitos estavam fazendo o mesmo. Minha pergunta: Quanto foi investido no sistema de automatização dos caixas daquela loja? Quanto custaria um sistema para manter funcionando os caixas e o sistema de pagamento? A resposta: Muito menos do que perderam em faturamento em pouco mais de 20 minutos em que eu fiquei lá.
Estes e outros casos são comuns, portanto pense antes de economizar sem critérios!
boxcolunistas-edson